Ablalesmya Johannsen, 1905 Neotropicais (Diptera, Chironomidae, Tanypodinae)

DSpace/Manakin Repository

Ablalesmya Johannsen, 1905 Neotropicais (Diptera, Chironomidae, Tanypodinae)

Show full item record


Title: Ablalesmya Johannsen, 1905 Neotropicais (Diptera, Chironomidae, Tanypodinae)
Author: Oliveira, Caroline Silva Neubern de
Abstract: Resumo: Os Chironomidae possuem distribuição mundial, apresentam hábitos diversos, e, embora se tenha uma grande quantidade de trabalhos ecológicos os envolvendo, a resolução taxonômica utilizada restringe-se apenas ao nível de família ou subfamília. Atualmente são reconhecidas 11 subfamílias, sendo Tanypodinae a terceira mais diversa, apenas atrás de Chironominae e Orthocladiinae. Entre os gêneros de Tanypodinae, Ablabesmyia Johannsen é um dos que ocorrem em todas as regiões biogeográficas, são conhecidas 66 espécies, das quais para a região Neotropical: A. cinctipes (Johannsen), A. costarricensis (Picado), A. punctulata (Philippi), A. infumata (Edwards), A. bianulata Paggi, A. reissi Paggi & Suarez, A. metica Roback, A. oliveirai Oliveira & Gessner e A. platensis Siri & Paggi. No presente trabalho, através de uma abordagem taxonômica e molecular para as espécies neotropicais do gênero, seis espécies foram redescritas, os estágios imaturos de A. metica e A. infumata descritos, seqüenciados os caracteres moleculares de A. reissi, estabelecidas 26 espécies novas, das quais 11 com os estágios imaturos, e 16 com os caracteres moleculares. As descrições contemplaram caracteres morfológicos e moleculares, distribuição geográfica e notas ecológicas, visando a fornecer subsídios para análises filogenéticas, biogeográficas e para a determinação de possíveis bioindicadores da qualidade hídrica. Com as coletas realizadas foi possível ampliar os estudos taxonômicos com o gênero e a distribuição geográfica do gênero no Brasil, inicialmente restrita ao Estado de São Paulo. A diagnose genérica foi modificada e a divisão em subgêneros não aceita. Foi estabelecida a nomenclatura morfológica de algumas estruturas e elaboradas chaves de identificação pictóricas para os três estádios do desenvolvimento. Os dados moleculares distinguiram as espécies de Ablabesmyia conforme os dados morfológicos, sugerindo uma máxima variação intraespecífica de 5% e uma mínima variação interespecífica de 7%. Porém, é importante ressaltar que poucas espécies foram analisadas e uma alta variação intraespecífica pode ser esperada com a obtenção de mais exemplares e de outras localidades.
URI: http://hdl.handle.net/1884/26246
Date: 2011-10-24

Files in this item

Files Size Format View
TESE 2011 - Caroline S N Oliveira.pdf 15.02Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account